DANOPOL DW HS 1.2 BIO

Lâmina sintética à base de PVC plastificado.

Variações de produtos:
Estanquidade à água
DANOPOL DW HS 1.2 BIO é uma membrana sintética à base de PVC plastificado azul claro, fabricado mediante calandrado e reforçado com uma armadura de malha de fibra de poliéster destinado à impermeabilização de tanques de água potável, incorpora biocidas em sua formulação para impedir a formação de algas, fungos e qualquer outro tipo de organismo prejudicial ao homem. Esta membrana é resistente à intempérie e aos raios U.V. (ultra-violetas).

Campo de aplicação

  • Impermeabilização de depósitos de água potável (adequados para intempéries) em conformidade com o Real Decreto 3/2023, de 10 de janeiro, que estabelece os critérios técnico-sanitários para a qualidade da água potável.

Vantagens e benefícios

  • Boa absorção dos movimentos estruturais.
  • Elevada resistência à tração.
  • Elevada resistência ao punçoamento.
  • Elevada elasticidade.
  • Elevada estabilidade dimensional.
  • Elevada resistência às intempéries.
  • Elevada resistência de arrancamento.
  • Membrana adequada para contacto com alimentos e água potável, certificada através de ensaios e da utilização de matéria-prima virgem, sem reciclagem.
  • Muito boa resistência a microorganismos, putrefação, impactos mecânicos, envelhecimento natural e inchaço.
  • Permite adaptar-se a qualquer tipo de geometria.
  • Resistente aos raios ultravioleta.

Modo de Aplicação

Preparação do suporte:  A superfície do suporte base deverá ser resistente, uniforme, lisa, estar limpa, seca e isenta de objetos estranhos. Como camada de separação ou de proteção utilizar-se-ão geotêxteis de poliéster, tipo Danofelt PY 300 ou superior.  A DANOSA recomenda uma solução não aderida ao suporte, realizando a soldadura das sobreposições com máquina de ar quente e rolo de pressão

Colocação da membrana impermeabilizante: A união entre membranas será feita por meio de soldadura termoplástica, com soldador de ar quente. As sobreposições serão no mínimo de 5 cm e a soldadura da membrana inferior com a superior será pelo menos de 4 cm. Imediatamente após a soldadura pressionar-se-á a união com um rolo, garantindo assim uma união homogénea. Para verificar as uniões será feito um controlo físico utilizando uma agulha metálica romba (com ponta arredondada com um raio entre 1mm e 3 mm), passando-a no sentido do comprimento do canto da união. No perímetro vertical e horizontal deverão ser usadas bandas colaminadas fixas mecanicamente ao suporte para soldar a membrana impermeabilizante sobre a sua superfície. Se o depósito tiver mais de 2 metros de profundidade, recomenda-se o uso de bandas colaminadas intermédias no paramento vertical, que permitam assegurar o nivelamento da membrana. Deverá usar-se um perfil colaminado fixo ao paramento vertical para executar o coroamento do depósito, soldando depois a membrana sobre a sua superfície. O perfil selar-se-á com massa de poliuretano ELASTYDAN 40 PU Gris ou outra equivalente, nunca em contacto com la membrana ou com a água contida no depósito. No caso de se utilizar soldaduras químicas com um diluente à base de THF, aplicar-se-á simultanea-mente a pincel uma camada de diluente e posteriormente pressionar-se-á a zona de união com um saco cheio de areia durante uns segundos.

Indicações e Recomendações Importantes

  • O elemento de fixação deve ser adequado ao material do suporte. Verificar a resistência à tração do elemento de fixação ao suporte para garantir uma correta fixação mecânica. Os elementos de fixação devem suportar uma carga de tração admissível superior a 600 N por ponto de ancoragem. A membrana é o elemento mais externo do sistema de impermeabilização, por isso a estabilidade deve ser calculada em relação à pressão dinâmica do vento conforme a forma do edifício, da altura acima do solo, da sua tipografia e da zona específica da cobertura.
  • No caso particular da impermeabilização nos depósitos de água potável, a durabilidade estimada da membrana impermeabilizante está sempre condicionada à correta manutenção da água por parte do utilizador final.
  • Nos projetos de reabilitação com impermeabilizações antigas, pode ser necessária a remoção dos materiais existentes ou a utilização de camadas separadoras adequadas (geotêxteis, camadas de argamassa, filmes de polietileno, etc ...).
  • Existe uma gama de produtos auxiliares para serem utilizados com a membrana (selante Elastydan PU 40 Gray, adesivo de PVC GLUE-DAN, perfis colaminados, esquinas, cantos, ralos, ilhós, etc.).
  • A soldabilidade e a qualidade da solda dependem das condições atmosféricas (temperatura, humidade), das condições de soldadura (temperatura, velocidade, pressão, limpeza anterior) e do estado da superfície da membrana (limpeza, humidade). Razão pela qual, a máquina de ar quente deve ser ajustada para obter uma montagem correta.
  • Para evitar incompatibilidades químicas, colocar uma camada separadora de geotêxtil DANOFELT PY 300 ou superior entre a membrana e: Produtos betuminosos ou sintéticos TPO/FPO e EPDM, produtos à base de poliestireno extrudido (XPS) ou expandido (EPS), PU rígido ou espuma, etc ...
  • Efetuar um controle rigoroso das soldaduras, após a superfície ficar fria através de um punção. Caso seja detectada alguma irregularidade numa soldadura com ar quente, é necessário repará-la através do mesmo procedimento descrito acima.
  • Devem ser tomadas as medidas de segurança adequadas, pois durante os trabalho de soldadura ocorre a liberação de vapores que podem ser irritantes.

Manuseamento, armazenamento e conservação

  • O produto deve ser armazenado em local seco e protegido da chuva, sol, calor e baixas temperaturas.
  • Este produto não é tóxico ou inflamável.
  • Manter a tela na embalagem original, na posição horizontal e todos os rolos paralelos (nunca cruzados), em cima de um suporte plano e liso.

Aviso

  • As informações contidas neste documento e qualquer outro conselho dado tem por base o conhecimento e experiência dos produtos da DANOSA sempre e quando sejam devidamente armazenados, tratados e aplicados, em situações normais e de acordo com as recomendações da DANOSA. A informação aplica-se unicamente ao (s) campo (s) de aplicação e ao (s) produto (s) expressamente identificados. No caso de alterações nos parâmetros ou pressupostos relativos à aplicação, ou no caso de um campo de aplicação diferente ao identificado, consulte o Departamento Técnico da DANOSA antes de usar os produtos DANOSA. As informações aqui contidas não liberam a responsabilidade dos agentes de construção de testar os produtos para a aplicação e uso previsto, bem como da sua correta aplicação de acordo com a regulamentação legal vigente. As imagens dos produtos utilizadas nas comunicações são indicativas e podem diferir ligeiramente na cor e na aparência estética em relação ao produto final.As encomendas serão aceitas de acordo com os termos das nossas Condições gerais de venda. A DANOSA reserva-se ao direito de modificar, sem aviso prévio, os dados refletidos nesta documentação. Website: www.danosa.com E-mail: portugal@danosa.com Telefone: (+351) 236 029 465

Apresentação

  • Comprimento (cm): 2000
  • Norma de medição de longitude: EN 1848-2
  • Largura (cm): 180
  • Norma de medição de largura: EN 1848-2
  • Espessura (mm): 1.2
  • Superfície (m²): 36
  • Código de produto: 210079
DANOPOL DW HS 1.2 BIO

Dados técnicos

Conceito Valor Norma
Massa nominal (kg/m²) 1.5 -
Densidade (kg/m³) 1250 -
Alongamento à rotura longitudinal (%) > 200 -
Alongamento à rotura transversal (%) > 200 -
Estabilidade dimensional longitudinal e transversal < 3.0 EN 1107-2
Permeabilidade ao vapor de água 47.000 ± 30% EN 1931
Flexibilidade a baixa temperatura (ºC) < -30 EN 495-5
Reação ao fogo E EN 13501-1
Resistência à penetração de raízes PND EN 13948
Resistência à tracção longitudinal e transversal (N/5cm) >1000 EN 12311-2 Método A
Resistência ao rasgamento longitudinal (N) > 60 EN 12310-2
Resistência ao rasgamento transversal (N) > 50 EN 12310-2
Resistência das sobreposições (Corte das sobreposições) (N/50mm) > 300 EN 12317-2
Resistência das sobreposições (Pelagem da sobreposição) (N/50mm) > 40 EN 12316-2

Dados Técnicos Adicionais

Conceito Valor Norma
Defeitos visíveis Pasa EN 1850-2
Espessura mínima nominal 1.2 (-5; +10%) EN 1849-2
Massa (kg/m²) 1,5 (-5%; +10%) EN 1849-2
Perda de alongamento à ruptura (UV 5000 h) (%) < 10< 10 EN 1297, EN 12311-2EN 1297, EN 12311-2
Perda de plastificantes (variação de massa em 30 dias) (%) < 4.5 EN ISO 177
Nivelamento (mm) < 10 EN 1848-2
Retidão (mm) < 50 EN 1848-2

Normas e Certificação

  • Em conformidade com o Real Decreto RD 3/2023, de 10 de janeiro, que estabelece os critérios técnico-sanitários para a qualidade da água potável, seu controle e abastecimento.
  • Em conformidade com os requisitos de marcação CE.
  • Estes ensaios foram realizados por uma auditoria externa e são verificados regularmente por autocontrolos de fábrica.

Informação ambiental

Conceito Valor Norma
Conteúdo reciclado posterior ao consumidor (%) NDP -
Conteúdo reciclado prévio ao consumidor (%) NDP -
Local de fabrico Fontanar - Guadalajara (España) -

Downloads

Olá! Precisa de ajuda?
Agende uma reunião connosco 😉